A LEI DA SEMEADURA (Gálatas 6-7-9)

(Pr Aguiar)

Para entendermos melhor o Reino de Deus é necessário entender o princípio da semeadura. O próprio Jesus falou que se não entendermos este princípio, teremos dificuldades para entendermos os assuntos espirituais de uma forma geral. (Mc 4:13).

Semear é plantar para colher, investir o que tem, para se obter mais, é perder para se obter mais; é perder agora, visando ganhar depois.

Semeadura pode ser feita em forma de atitudes, comportamentos, ações, reações, confissões ou palavras. Isso pode ser atitudes comportamentais do dia a dia ou atividades espirituais como oração, leitura da Bíblia, jejum, evangelismo, testemunho, ofertas…

Deus não coloca os frutos em nossas mãos, ele coloca as sementes. Ele nos dá o privilégio de sermos participantes dessa seara junto com ele.

O que você está vivendo hoje pode ser fruto de uma semeadura do passado. E o seu futuro vai depender do que você está semeando hoje.

Alguns princípios para uma boa semeadura:

1. Escolha sempre a boa semente.“O reino dos céus é semelhante ao homem que semeia a boa semente no seu campo”. ( Mat 13:24).

A semente que você vai plantar terá influência direta na natureza e na qualidade do fruto. Colheita é multiplicação do que se plantou. Por isso é necessário selecionar muito bem a semente que se vai plantar.

Uma pessoa rancorosa e maldizente não pode colher amor e simpatia das pessoas. Semeie amor, semeie carinho, semeie bondade e você colherá isso de forma multiplicada.

Quer receber bênçãos espirituais? Invista nas coisas espirituais. Quem valoriza e prioriza as coisas naturais, não pense que vai receber unção e presença de Deus na sua vida. Quem semeia na carne não pode receber nada no espírito. (Gl 6:7,8). Quer colher presença e manifestação de Deus, invista seu tempo em estar na presença dele.

Nós sempre colhemos muito mais do que a proporção que semeamos. Semeiam ventos, colhem tempestades” (Oséias 8:7).

2. Prepare bem a terra para semear.“Assim diz o Senhor aos homens de Judá e à Jerusalém: Lavrai para vós campo novo, e não semeeis entre espinhos”.) Jer 4:3).

É bom lembrar que a terra, neste caso, é o nosso coração. Não se joga a semente em qualquer lugar, de qualquer maneira em qualquer tempo. A certeza de uma boa colheita vai depender da qualidade da semente, junto com a preparação adequada da terra.

O preparo da terra é provocado por uma ação externa. A terra não se prepara por si mesma. É preciso que alguém passe o arado sobre ela e acrescente adubos ou outros componentes químicos que são necessários.

As provas e as humilhações pelas quais passamos na vida, servem como instrumentos que preparam o nosso coração para receber a boa semente. “Deus te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar e te provar para saber o que estava no teu coração, se guardarias ou não os seus mandamentos.” (Deut. 8:2).

3. Considere o passado. É necessário considerar o seu passado, para ver o que há de fato, por baixo da sua aparência. “Considere o vosso coração no caminho”. (Ageu 1:7).

Por baixo dessa terra aparentemente fofa, pode existir uma camada de pedra ou de terra batida, ou mesmo muita água. Por isso, que muita semente pode nascer e até crescer, mas não tem muita duração, pois não cria raízes. (Mt 13:20,21).

4. Remova o que é inútil. Muitas sementes de ervas daninhas estão escondidas debaixo da terra, aguardando uma oportunidade para nascer. Na preparação da terra é preciso arrancar as ervas daninhas para que elas não sufoquem a boa semente tornando-a infrutífera. (Mat 13:22).

É preciso revirar primeiramente a terra, deixar que a erva daninha cresça um pouco para depois ser arrancada. As aflições, as tribulações da vida fazem aparecer dentro de nós as ervas daninhas – os maus pensamentos, os traumas e os defeitos que guardamos dentro de nós. E quando essas coisas aparecem não é para deixá-las crescer e sim, é para ter condições de arrancá-las do nosso coração.

A nossa alma precisa ser tratada, curada dos traumas e feridas, para que a verdadeira semente possa crescer e dar frutos esperados. Prepare o seu coração para receber a boa semente.

5. Semeie com Perseverança.“Semeie de manhã e também de tarde porque você não sabe se todas as sementes crescerão bem, nem se uma crescerá melhor do que a outra.” (Ecl 11:6).

Confie na semente que está semeando. É preciso acreditar que a semente também fará a parte dela. (Mc 4:26-29). A nossa impaciência não vai acelerar o processo da semente.

A colheita não é resultado apenas de quem semeia, mas é também resultado do desenvolvimento natural da semente, e daquele que não desanima de esperar. (Gl. 6:9).

Seja paciente, saiba esperar o desenvolvimento natural que a semente precisa para crescer e frutificar.

6. Semear com sacrifício. (Sl 126:5,6). Semear sempre é mais difícil do que colher. Às vezes, a semente é para nós, mais preciosa do que o próprio fruto que nos é prometido.

Foi muito difícil para Abraão entregar seu único filho. Mas depois que entregou, recebeu outros filhos e finalmente uma nação se formou da sua descendência.

Foi difícil para Deus entregar seu próprio Filho, mas hoje Ele tem uma multidão de filhos salvos pelo sacrifício de Jesus.

Foi difícil para aquela viúva em Sarepta entregar seu único alimento para o profeta Elias, mas foi por causa dessa entrega que ela sobreviveu aqueles três anos de fome.

O difícil nessa semeadura de lágrimas, é que, o que está em evidência, é a morte da semente, e não a vida do fruto. “Se o grão de trigo não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto.” ( Jo 12:24).

Quem semeia com lágrimas, não colhe um fruto comum. Como Ana, que semeou com lágrimas por muito tempo pedindo um filho. Como resposta daquela semeadura de lágrimas, Deus não deu apenas um filho, mas deu um ministério profético para abençoar uma nação toda. (Amém!).

Compartilhe com seus amigos.