Os verdadeiros adoradores

Jo 4:3-24

A vida de Cristo em nós satisfaz o coração amoroso de Deus e lhe traz alegria e adoração.

Jesus citou para a mulher samaritana três tipos de adoração:

A adoração ignorante dos samaritanos – “Vós adorais o que não conheceis”.

A adoração inteligente dos judeus, os quais tinham o verdadeiro conhecimento de Deus – “nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação vem dos judeus”.

A nova e espiritual adoração que Ele mesmo veio introduzir – “Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade”.

Para se existir verdadeira adoração deve existir harmonia entre Deus e Seus adoradores. Porque Deus é espírito devemos adorá-lo em espírito.

Nossa adoração no espírito não está restrita a um lugar ou forma, mas á essência da vida do Espírito.

Padecemos quando ficamos limitados nas regras, no tempo ou a lugares específicos para adoração.

  • Fomos ensinados á ir ao altar e não a ser o altar.
  • Fomos ensinados á ir para a igreja e não a ser a igreja.
  • Fomos ensinados a ter reverencia no templo e não que somos o templo.
  • Fomos ensinados a trazer oferta à casa de Deus e não que somos a casa de Deus em oferta.
  • Fomos ensinados á participar do culto e não a ser o culto.
  • Fomos ensinados que adoração é musica lenta e não que é obediência a Deus.
  • Fomos ensinados a ter um tempo de oração e não a orar em todo tempo.
  • Fomos ensinados a sentir a unção, a gloria, o fogo, o poder em vez de entender e manifestar a Cristo que já possui tudo isto e agora habita em nós.

 

Adoração tem haver com coerência.

De que adianta orar seriamente no quarto em secreto se durante o dia se vive completamente em desarmonia com aquilo que se ora?

De que adianta cantar e “adorar” nas reuniões e passar a semana brigando com o cônjuge e filhos?

De que adianta mostrar uma aparência de “adorador” quando se na verdade fazemos durante a semana toda nossa vontade?

R: Este tipo de adoração está limitada a lugar, a hora estabelecida, a regras, mas não é uma adoração com todo o nosso ser.

Adoração é vida que flui e não regras que obedeço.

Adoração tem a haver em como viver a vida no Reino de um Deus e não com regras de homens.

Por isso o Pai procura verdadeiros adoradores. Porque existe muita adoração falsificada.

Deus enviou seu Filho para nos capacitar para a adoração espiritual, dando-nos o Espírito Santo.

Sem o Espírito Santo habitando em nós é impossível que exista adoração a Deus.

Rom 8:5-16 – O Espírito de Cristo (O consolador)

Uma das características da obra completa de Cristo é que Ele nos deu do seu próprio espírito.

Ninguém no Antigo testamento podia chamar a Deus de Pai, mas nós agora apartir da nova aliança podemos, porque O Filho nos deu o espírito de adoção. Aleluia!

A adoração em verdade

Esta adoração em espírito e em verdade não significa uma adoração com seriedade, de coração ou com sinceridade, como alguns pensam.

 

Vamos entender algo:

A lei veio por Moises a graça e a verdade veio por meio de Cristo Jesus. Jo 1:17

Jesus disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”. Jo 14:6

Col 2:16,17 – A realidade se encontra em Cristo.

Na antiga aliança tudo era sombra e promessa, Cristo porem dá a realidade e a essência.

A adoração em verdade é:

  • A adoração em espírito, apartir do Espírito Santo que comunica a vida divina a nós.
  • O relacionamento vivo com Deus, uma real correspondência e harmonia entre o Pai que é Espírito e o filho que vive pelo espírito.

Enquanto formos carnais não poderá existir adoração em espírito e em verdade

Col 3:1-17 – A adoração que flui pelo Espírito.

Este é o novo e vivo caminho que Cristo abriu para nós. Entremos confiadamente pela graça.

A primeira vez onde se vê a palavra adoração.

Gen 22:1-12 – Adorar é temer a palavra de Deus e nossa obediência a ela.

O que nos torna adoradores verdadeiros e espirituais é receber e se submeter ao Espírito que revela quem é o Pai e o que Lhe agrada.